holding-hands-1149411_1920

OS TRÊS PASSOS DO CASAL QUE CAMINHA NA VONTADE DE DEUS (PARTE 2)

mar 14 • Formação, Notícias • 508 Views • Nenhum comentário em OS TRÊS PASSOS DO CASAL QUE CAMINHA NA VONTADE DE DEUS (PARTE 2)

O primeiro passo que vimos diante da vontade de Deus para o casal foi “deixar pai e mãe”. Para quê? A resposta é nosso segundo passo.

2º Passo: Se unir a sua esposa.

A unidade do casal e a unidade da família tem como modelo a Santíssima Trindade. Uma unidade de amor que gera vida! A Igreja nos ensina que o matrimônio tem um duplo sentido: Unitivo e Procriativo!

Unitivo: significa que o fim do matrimônio não é somente gerar filhos pra Deus, mas em primeiro lugar, unir o casal entre si e com o próprio Deus que os uniu pelo sacramento. Ou seja, primeiro vem o “crescei” e depois o “multiplicai-vos”. O sentido unitivo do matrimônio é o “crescei”, porque esta união em Deus leva ao crescimento do casal. Um ajuda o outro a crescer como pessoa, como filho de Deus e em todos os sentidos: físico, mental e espiritual.holding-hands-1149411_1920

O grande problema das famílias de hoje é a divisão do casal. O individualismo mata o sentido primeiro do matrimônio. O esposo tem seu grupo de amigos e a esposa tem o grupo de amigos dela. Não deveria ser assim! Não que eu não possa ter um ou outro amigo que talvez não seja do grupo de amigos da minha esposa, mas o correto seria que os amigos(as) da minha esposa fossem os meus amigos. E meus amigos precisam ser amigos da minha esposa.

Se alguma amizade fere ou atrapalha a unidade do casal, precisa ser revista ou eliminada o quanto antes! Não dá para estar casado e querer viver como solteiro! Os lugares de lazer que eu frequento precisam ser os mesmos que minha esposa frequenta. Se tem algum lugar que frequento e que não posso levar minha esposa, então tem alguma coisa errada… O casal precisa andar junto, rezar junto, fazer coisas junto, mesmo que sejam coisas simples como ir ao supermercado ou na reunião da escola. Sempre que puder, é preciso valorizar ao máximo o tempo junto. O marido não pode usar o futebol para justificar as ausências. O dia a dia já nos tira demais da presença um do outro. Assistir um filme, brincar, rezar junto, tudo isso é possível e não custa nada se soubermos priorizar o outro!

O segundo sentido do matrimônio é consequência do primeiro: multiplicai-vos. Este é o sentido procriativo. Tão importante que a Igreja declara nulo o matrimônio contraído sem a intenção de gerar filhos. Porque é natural que da unidade do casal transbordem os filhos! Salvo os casos de impossibilidade biológica ou grave problema de saúde.

Neste caso, a tentativa de adoção também se torna um gesto de amor e testemunho de unidade.

Então, para finalizar, precisamos enxergar o matrimônio como um sacramento que em primeiro lugar une o casal entre si e com o Criador. Não é uma sociedade de um homem e uma mulher para comprar um terreno ou um carro, mas para revelar Deus ao mundo. Revelar Deus pelo testemunho de unidade e de Amor. Porque, se um elefante incomoda muita gente, o casal que reza junto, que vive junto, incomoda muito mais…

Paremos um pouco antes de irmos à terceira parte.

Como estamos usando o nosso tempo quando estamos juntos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

« »